Por uma “algor-ética”

25 de novembro de 2020

A atenção do Papa Francisco a este tema é notória e muito significativa. Constantemente o Sumo Pontífice manifesta a sua preocupação com o avanço tecnológico puramente instrumental e com objetivos econômicos.

No início deste ano 2020, quando a pandemia ainda não havia mostrado a sua ferocidade, o Vaticano promoveu uma série de eventos sobre a inteligência artificial (AI), tema que agora é reproposto pelo Papa Francisco na intenção de oração do mês: “Rezemos para que o progresso da robótica e da inteligência artificial esteja sempre a serviço do ser humano.”

Durante um longo período a Pontifícia Academia para a Vida trabalhou – juntamente com diretores da IBM, da Microsoft e de membros da ONU –na elaboração de uma “carta” ou pacto sobre a ética no campo da robótica e da AI. Intitulado “Romecall for AI etichs” (algo como “Apelo de Roma por uma ética para a inteligência artificial”, que pode ser lido em www.academyforlife.va), a declaração procura estabelecer alguns princípios fundamentais que rendam a tecnologia mais humana e acessível a todos. Essa carta foi apresentada publicamente durante o convênio “O bom algoritmo? Inteligência artificial: ética, lei, saúde”, realizado em Roma de 9 a 13 de fevereiro deste ano.

Frei Darlei Zanon

A atenção do Papa Francisco a este tema é notória e muito significativa. Constantemente o Sumo Pontífice manifesta a sua preocupação com o avanço tecnológico puramente instrumental e com objetivos econômicos.

Frei Darlei Zanon

No início deste ano 2020, quando a pandemia ainda não havia mostrado a sua ferocidade, o Vaticano promoveu uma série de eventos sobre a inteligência artificial (AI), tema que agora é reproposto pelo Papa Francisco na intenção de oração do mês: “Rezemos para que o progresso da robótica e da inteligência artificial esteja sempre a serviço do ser humano.”

Durante um longo período a Pontifícia Academia para a Vida trabalhou – juntamente com diretores da IBM, da Microsoft e de membros da ONU –na elaboração de uma “carta” ou pacto sobre a ética no campo da robótica e da AI. Intitulado “Romecall for AI etichs” (algo como “Apelo de Roma por uma ética para a inteligência artificial”, que pode ser lido em www.academyforlife.va), a declaração procura estabelecer alguns princípios fundamentais que rendam a tecnologia mais humana e acessível a todos. Essa carta foi apresentada publicamente durante o convênio “O bom algoritmo? Inteligência artificial: ética, lei, saúde”, realizado em Roma de 9 a 13 de fevereiro deste ano.

Frei Darlei Zanon – Religioso paulino
Fonte: Vatican News

FacebookWhatsAppTwitter