A VIDA E OS SACRAMENTOS DA IGREJA

1 de junho de 2022

Amados irmãos e irmãs, no mês de fevereiro refletimos um pouco sobre os Sacramentos da Iniciação Cristã e este mês iremos refletir sobre os Sacramentos da Cura que são a Unção dos Enfermos e o Sacramento da Confissão.

Reconciliação ou Penitência

É o sacramento que nos leva a voltar a intimidade com Deus e com os irmãos e irmãs na comunidade cristã. É a confissão dos pecados a um sacerdote, que aplica a penitência para uma vez cumprida, propiciar a reconciliação com Cristo. Por outras palavras, é o sacramento que dá ao cristão católico a oportunidade de reconhecer as suas faltas e, se delas estiver arrependido, ser perdoado por Deus.

O reconhecimento das faltas é a sua confissão a um sacerdote, que pode ouvi-la em nome de Deus e conceder àquele fiel o seu perdão. Após ouvi-lo, cabe ao sacerdote oferecer as suas palavras de conselho, de censura, de orientação e conforto ao penitente, recomendando a penitência a ser cumprida.

A Igreja Católica considera o sacramento da penitência um ato purificador, que deve ser praticado antes da Eucaristia, para que esta seja recebida com a alma limpa pelo perdão dos pecados. Mas, entende-se também que esse efeito purificador é salutar, sendo benéfico para o espírito cada vez que é praticado.
Um dos mais rígidos deveres impostos ao sacerdote pela Igreja é o segredo da confissão.

Unção dos Enfermos

A Igreja, tendo recebido do Senhor a ordem de curar os enfermos, procura pôr isso em prática com os cuidados para com os doentes, acompanhados da oração de intercessão. Ela possui, sobretudo, um sacramento específico em favor dos enfermos, instituído pelo próprio Cristo e atestado por São Tiago: “Quem está doente, chame a si os presbíteros da Igreja e rezem por ele, depois de ter ungido com óleo no nome do Senhor”. (Tg 5,14-15).

A Unção dos Enfermos é o sacramento pelo qual o sacerdote reza e unge os enfermos para estimular-lhes a cura mediante a fé, ouve deles os arrependimentos e promove-lhes o perdão de Deus. Este sacramento pode ser dado a qualquer pessoa que se encontra em estado de enfermidade, e não somente a pessoas que estão em estado de falecer a qualquer momento.

Deus abençoe a todos os paroquianos(as) e todos de bom coração.

Pe. Elinei Eustáquio Gomes
“Aquele que me enviou está comigo” (Jo 8-29)

FacebookWhatsAppTwitter