Diocese de Itabira-Cel. Fabriciano ordena mais sete Diáconos Permanentes

19 de outubro de 2020

A Diocese de Itabira – Coronel Fabriciano está em júbilo pois no último sábado foram ordenados sete novos Diáconos Permanentes: Adilson Edson de Miranda, Eduardo Gomes Roberto, Giuseppe Leone, Henrique Armstrong Carvalho Rodrigues, Márcio Rogério Vieira Honorato, Sérgio Odilon Benevides e Welington César de Oliveira.

Realizada de forma privada, mas transmitida pelo Facebook e YouTube da Diocese, Rádio Educadora e Rádio Liberdade FM, a Solene Celebração Eucarística foi presidida pelo nosso Bispo Diocesano, Dom Marco Aurélio Gubiotti. Após acolher e saudar os candidatos ao Diaconato, Dom Odilon Guimarães Moreira, Bispo Emérito, os presbíteros, seminaristas e demais presentes, Dom Marco Aurélio cumprimentou também as esposas e familiares dos ordinandos.

Em sua homilia, o bispo recordou a vocação do profeta e destacou que Jesus ensina que não há como produzir frutos na missão se nós nos isolamos: “Exercer bem a missão a que o Senhor nos destina exige de nós este compromisso de comunhão, de vida comunitária, e de compromisso com os demais. Jesus ensina que não há como produzir vida sem doar a própria vida”.

Recordando o texto do Evangelho (Jo 12,24-26), especialmente o trecho que diz que “se o grão de trigo que cai na terra não morre, não produzirá fruto”, Dom Marco Aurélio afirmou: “Doar a própria vida é condição para a fecundidade, é a suprema medida do amor. Quando colocamos limites na nossa doação, após dizermos sim ao chamado de Deus, por apego ou por busca de autopreservação, nós caminhamos para o insucesso e para a perda de sentido”.

Dom Marco Aurélio afirmou ainda que “só tem vida quem se doa por amor no seguimento de Jesus e no prosseguimento da sua missão” e diretamente aos ordinandos disse: “Deus queira que esta seja a história do exercício do ministério diaconal em vocês”, expressou o bispo. Entre outros aspectos da vida e missão do diácono, Dom Marco Aurélio, ressaltou a importância das esposas e dos filhos na vida e exercício do ministério dos diáconos.

Terminada a homilia, rezou-se a Ladainha de Todos os Santos, foi realizado o Rito de Imposição das Mãos e Prece de Ordenação, a Investidura das Vestes Diaconais e a entrega do Livro dos Evangelhos. Em seguida, os neos-diáconos foram cumprimentados pelo Bispo Diocesano e pelos diáconos presentes.

Após a Liturgia Eucarística, já ao final da Celebração, o Diácono Sérgio Odilon Benevides, representando os diáconos recém ordenados, cumprimentou os presentes e os que acompanhavam a transmissão ao vivo. Relembrando a todos o lema de pontificado do Papa Francisco que diz “olhou-o com misericórdia e o escolheu”, Sérgio afirmou: “Nós, neos-diáconos, fomos escolhidos não por nossos méritos ou direitos, virtudes ou habilidades, sem dúvida alguma, havia pessoas mais capazes do que nós, mais inteligentes, mais dinâmicas, mais cordiais, mais simpáticas, mais pacientes e com muito mais jovialidade. Contudo, Ele nos olhou com misericórdia e nos escolheu, sabendo bem de que matéria fomos feitos, sabendo quão pecadores e desmerecedores o somos dos ministérios sagrados que hoje recebemos, mas como bem disse o Papa Emérito Bento XVI, ‘o Senhor é especialista em trabalhar com instrumentos insuficientes’, e por isso hoje nos constituiu Diáconos Permanentes para sua Igreja, em estado permanente de missão. Se agora somos o que somos é pela miraculosa e gratuita graça de Deus, e certamente pela intercessão de sua e nossa Santíssima Mãe tão consoladora e amorosamente presente em nossas vidas”.

Na oportunidade, Diácono Sérgio agradeceu ao bispo emérito Dom Odilon por sua iniciativa de abrir a Escola Diaconal em nossa Diocese, a Dom Marco Aurélio por sua constante presença ao longo de todo período de formação. Agradeceu aos pais, às esposas, filhos e filhas, e todos aqueles que os apoiaram no período formativo, bem como aqueles que os acolheram neos-diáconos e colaboraram com a Solene Celebração.

Leia na Íntegra clicando aqui!

Por Agência Parábola

FacebookWhatsAppTwitter