Coleta Pró Terra Santa, um gesto de solidariedade afirma o cardeal Sandri

11 de setembro de 2020

O Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, que têm visitado várias vezes a Terra Santa nos últimos anos, não deixou de recordar a missão muito particular dos frades franciscanos, que há mais de 800 anos se comprometem a salvaguardar os Lugares Santos em nome da Igreja Católica.

“Um gesto de solidariedade para manter os Lugares Santos e as necessidades dos confrades da terra de Jesus”: solicitou o cardeal Leonardo Sandri, prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, a poucos dias da Coleta Pró Terra Santa, a coleta de ofertas que acontece em todas as igrejas do mundo destinada aos cristãos do Oriente Médio. Geralmente é realizada na Sexta-feira Santa, mas este ano, devido à pandemia da Covid, foi transferida para 13 de setembro.

S. Em. Card. LEONARDO SANDRI Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais

“Tivemos que adiar a realização da Coleta Pró Terra Santa, solicitada por Paulo VI e promovida por todos os papas que o sucederam, inclusive pelo Papa Francisco. Pensamos que poderíamos ter feito esta coleta com mais serenidade – talvez tenhamos sido muito otimistas – no mês de setembro, por ocasião da festa da Exaltação da Santa Cruz, no dia 13 de setembro. Pouco depois, se celebra Nossa Senhora das Dores. Portanto, esta proximidade com a cruz de Cristo parecia-nos uma data muito significativa – que o Papa então aprovou – porque nos remetia, obviamente, não à Sexta-Feira Santa – que seria o dia em que se costuma fazer a coleta – mas à cruz de Cristo, à sua exaltação, ao descobrimento das relíquias da cruz de Cristo.”

O Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, que têm visitado várias vezes a Terra Santa nos últimos anos, não deixou de recordar a missão muito particular dos frades franciscanos, que há mais de 800 anos se comprometem a salvaguardar os Lugares Santos em nome da Igreja Católica. Todos os anos, uma contribuição muito importante para a manutenção dos santuários, e também de muitas escolas, paróquias, atividades sociais realizadas pela Custódia da Terra Santa, chega através da Coleta.

S. Em. Card. LEONARDO SANDRI Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais

“A Terra Santa é santa sobretudo porque Jesus ali pôs os seus pés. Os franciscanos da Custódia da Terra Santa são aqueles que cuidam dos lugares onde Jesus pôs os seus pés e as suas mãos. Todos devemos agradecê-los porque eles não estão apenas ali, mas são missionários para com todos nós que chegamos aos Lugares Santos e recebemos a acolhida dos franciscanos, deles recebemos a palavra que explica o mistério de Jesus no lugar concreto onde Ele viveu, onde Ele esteve.”

Certo, o apelo para doar cai este ano em uma situação muito particular, com o mundo comprometido em enfrentar as consequências da pandemia do Coronavírus. No entanto, é o próprio Cardeal Sandri a demonstrar como em um tempo em que é difícil viajar, pode nascer uma “peregrinação da generosidade”.

S. Em. Card. LEONARDO SANDRI Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais

“Não sairemos deste terrível flagelo a não ser com a solidariedade. Por isso é importante a generosidade dos pobres, dos humildes, dos ricos … de todos, que dão o que podem pela sobrevivência dos Lugares Santos de Jesus e, portanto, pela presença viva de Jesus que todos podem experimentar com a peregrinação física na Terra Santa que hoje, devido a estas circunstâncias, se transforma em peregrinação da oração, do espírito, da invocação e da generosidade para contribuir com a manutenção de todos os Lugares Santos e de todas as necessidades dos nossos confrades na terra de Jesus.”

Fonte: Christian Media Center

FacebookWhatsAppTwitter