‘Novas oportunidades para o turismo no Brasil’ é tema da mensagem do bispo referencial para o 41º Dia Mundial do Turismo

16 de setembro de 2020

No texto, o arcebispo de Santarém (PA) e referencial da Pastoral do Turismo, dom Irineu Roman, destaca entre outros assuntos o Turismo no meio Rural, a situação do setor do Turismo no contexto da pandemia do coronavírus, e sobre as perspectivas para o pós-pandemia

No próximo dia 27 de setembro é celebrado o Dia Mundial do Turismo. Este ano, por causa da pandemia da covid-19, a Pastoral do Turismo, vinculada ao Setor Mobilidade Humana, da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sociotransformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vai celebrar o 41º Dia Mundial do Turismo com a temática: ‘Turismo e Desenvolvimento Rural’.

O tema foi apresentado pela Organização Mundial do Turismo e acolhido pelo Vaticano através do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral. De acordo com a coordenação nacional da Pastur, o presidente do Dicastério, cardeal Peter Turkson, disse em mensagem que “o tema escolhido pela OMT antes da emergência do Covid-19 para o presente dia, indica providencialmente um dos caminhos para a possível retomada do setor turístico”.

Segundo o documento, a fala do cardeal diz respeito a situação de extrema dificuldade em que sem encontra o mundo do turismo diante da pandemia, tendo sido um dos setores mais afetados pelos resultados da crise sanitária mundial.

Dom Irineu Roman. Foto: Divulgação

O arcebispo de Santarém (PA) e referencial da Pastoral do Turismo, dom Irineu Roman, preparou uma mensagem sobre ‘Novas oportunidades para o Turismo no Brasil’. No texto, o bispo destaca entre outros assuntos a situação do Turismo no contexto da pandemia do coronavírus, o Turismo no meio Rural e sobre as perspectivas para o pós-pandemia.

De acordo com o bispo, no contexto do Brasil é possível se voltar para os imensos territórios rurais de norte a sul do país como lugares que permanecem escondidos, ainda não valorizados e que podem ser descobertos agora.

“O meio rural vive nestes lugares, ainda preservados, e, se promovidos a caminhos turísticos, terão mais oportunidade de sustentabilidade e valorização. Nesse ambiente rural, promover o turismo sustentável e responsável com bons princípios de justiça social e econômica, observando o pleno respeito às populações e culturas, valorizando as comunidades locais, respeitando seu protagonismo, no cuidado ao desenvolvimento sustentável, ou seja, um turismo que favoreça a interação positiva entre a indústria turística, a comunidade e os viajantes”, descarta dom Irineu.

Para celebrar a data, a Pastoral do Turismo vai realizar a Semana Nacional do Turismo de 21 a 27 de setembro com diversas atividades online. Além da celebração de várias missas em diversos municípios brasileiros.

Leia a mensagem na íntegra:

MENSAGEM PARA O 41º DIA MUNDIAL DO TURISMO (27 DE SETEMBRO)

Novas oportunidades para o Turismo no Brasil

1 – A situação do Turismo no contexto da Pandemia

Esta mensagem por ocasião do Dia Mundial do Turismo, a realizar-se no próximo dia 27 de setembro, fundamenta-se no artigo recente expedido para toda a Igreja pelo Card. Peter Turkson, Prefeito do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral (DHI). Como vem acontecendo todos os anos, o 41º Dia Mundial do Turismo, realiza-se neste ano de 2020, no contexto da Pandemia do COVID-19, de que ainda não se vê o fim.

Desta pandemia, todos conhecem as conseqüências, tais como; “a redução da mobilidade e do turismo, quer internacional quer nacional; suspensão de vôos internacionais; o encerramento dos aeroportos e das fronteiras, restrições a viagens. Tudo isso está a causar uma crise em muitos setores à indústria turística”. (cf. Mensagem Dia Mundial do Turismo 2020). As perspectivas apontam para, como de fato está acontecendo, a diminuição de milhões de turistas internacionais, com perdas de milhões de dólares. As conseqüências de tudo isto é a perda enorme de postos de trabalho em todo o setor turístico. De acordo com o Secretário Geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Zurab Pololikashvili, “o turismo foi o setor mais atingido pelo confinamento global, com milhões de postos de trabalho em risco num dos setores de mais alta intensidade de trabalho da economia”.

O Cardeal nos apresenta uma luz no final do túnel, afirmando que esse cenário não deve paralisar-nos e privar-nos de uma visão positiva do futuro. Por isso nos recorda as palavras do Papa Francisco: “Pior do que esta crise é o drama de desperdiçá-la (…). Agora, no grande esforço de recomeçar, quanto é danoso o pessimismo, o ver tudo negativo, o repetir que nada voltará a ser como antes”.

2 – Turismo e desenvolvimento sustentável

Como sabemos a Organização Mundial do Turismo (OMT), antes mesmo do surgimento da COVID-19, nos indicou providencialmente um dos caminhos para uma possível retomada do setor turístico. Neste sentido, nos apresentou o convite para tomar a sério e colocar em prática sustentável um turismo dirigido aos destinos extra-urbanos, pequenas aldeias, estradas e caminhos pouco conhecidos e menos freqüentados. No contexto de nosso país, podemos nos voltar para os imensos territórios rurais de norte a sul do Brasil. Esses lugares, que permanecem escondidos, ainda não valorizados, podem ser descobertos agora. O meio rural vive nestes lugares, ainda preservados, e, se promovidos a caminhos turísticos, terão mais oportunidade de sustentabilidade e valorização. Nesse ambiente rural, promover o turismo sustentável e responsável com bons princípios de justiça social e econômica, observando o pleno respeito às populações e culturas, valorizando as comunidades locais, respeitando seu protagonismo, no cuidado ao desenvolvimento sustentável, ou seja, um turismo que favoreça a interação positiva entre a indústria turística, a comunidade e os viajantes.

3 – O Turismo no meio rural

Em nosso país, devemos considerar que mais de oitenta por centro da população concentra-se em áreas urbanas, porém, o Brasil possui uma imensa superfície rural, com uma população poucos menos de vinte por cento habitando e trabalhando em áreas agrícolas. Temos várias localidades onde o Turismo, de modo particular, o de Base Comunitária (TCB) está implantado e vem crescendo cada vez mais. Por outro lado, há muito a ser feito para um turismo que venha a apoiar a economia rural. A economia rural, que é feita de agricultura e, muitas vezes, de empresas familiares e de pequenas dimensões, precisam muito de incentivo, investimento e apoio, principalmente dos governos.

Turismo e agricultura rural podem, assim, se tornar duas componentes essenciais de um mundo novo que se deseja construir. Os pequenos agricultores são os primeiros guardiões da Criação, como se pode ver, por exemplo, na região Amazônica, particularmente nas áreas dos grandes rios e lagos. Os turistas são os visitantes que podem tornar-se sustentadores de um ecossistema, preservando-o, se viajam de maneira consciente e sóbria. Viajar para destinos rurais, apoiar as produções locais, de pequenas realidades empresariais agrícolas, realizadas de modo compatível com as leis da natureza.

4 – Descansar o coração, aprender novos estilos de vida

O turismo contextualizado no meio rural saberá olhar e partilhar os dons da terra, das águas, e ajudará a aprender novos estilos de vida. A sabedoria daqueles que cultivam a terra, feita de observação e espera, poderá ajudar a harmonizar os tempos da vida quotidiana com a natureza. Além disso, aproximar turismo e desenvolvimento rural é uma boa maneira para aprender novas culturas, aprender novos valores ligados à Criação, que hoje representam não só um dever moral, mas uma urgência de ação coletiva. O turismo rural torna-se assim o lugar onde se aprende uma nova maneira de entrar em relação com o outro e a natureza. Um turismo sustentável a partir do meio rural; isto significa respeitar as práticas agrícolas e os ritmos de vida das populações que se encontram nesse contexto.

5 – Proximidade, solidariedade e perspectivas

A Pastoral do Turismo (Pastur), organizada em todo o território de nosso país, através de suas coordenações locais, e em âmbito nacional está atenta a tudo o que se relaciona ao turismo de modo geral. A mensagem do Cardeal Peter Turkson, para o 41º Dia Mundial do Turismo, enfocando o “turismo no meio rural”, veio clarear ainda mais aquilo que nossos agentes, guias de turismo, profissionais e empresários do setor, já vêem, refletem e realizam nas diversas regiões.

O Cardeal Peter nos apresenta um Turismo que promove a proximidade entre as pessoas, isto é, relações entre vizinhança e união de corações. Um turismo que prevê o movimento de pessoas e bens, deve agora mostrar o seu rosto transformador, como atividade recreativa que faça crescer o espírito de fraternidade entre os povos. Capaz de agir pelo sustento dos rendimentos dos trabalhadores deste setor e na defesa das comunidades rurais mais frágeis. Um turismo responsável e sustentável na luta contra a pobreza.

A Mensagem do Cardeal Turkson é também um apelo aos governantes a fim que promovam e incentivem o turismo responsável, segundo os princípios da justiça social e econômica, e no pleno respeito pelo ambiente e pelas culturas. Os governantes dirijam o seu olhar para as regiões marginais, colaborando com o rendimento de quem trabalha a terra. Os movimentos ecologistas contribuam com o seu trabalho para a conversão dos corações para uma saudável e correta ecologia integral. Os trabalhadores da agricultura das zonas rurais sejam considerados destinatários diretos de significativas ajudas e de projetos de recuperação e de promoção da agricultura familiar.

Peter Turkson finaliza sua mensagem para toda a Igreja, incentivando os bispos e responsáveis pela pastoral do turismo, a um empenho unânime, para que cada um no seu território assuma iniciativas concretas de ajuda às atividades turísticas. As comunidades e paróquias são convidadas a responder com solicitude e generosidade às exigências e às necessidades dos trabalhadores do turismo, inclusive, desenvolvendo redes de proximidade e a construir novos percursos de fruição turística das áreas rurais, conjugando respeito pelo ambiente e oportunidades de apoio aos operadores turísticos locais. Com a ajuda de Deus, coloquemo-nos todos no mesmo caminho para um futuro melhor.

Dom Irineu Roman,CSJ
Arcebispo de Santarém e referencial da Pastoral do Turismo da CNBB

Fonte: CNBB
Foto de capa: menino do drone

FacebookWhatsAppTwitter