A Paróquia

História, religiosidade e tradição


 


A Paróquia de Santana pertence a Diocese de Itabira – Coronel Fabriciano e está situada em Santana do Paraíso/MG, no entanto seu curato pertenceu a Paróquia Santo Antônio de Mesquita até meados de 1969 quando se tornou oficialmente paróquia.


Sua história se mistura com a da cidade de Santana do Paraíso, município constituído na segunda metade do século XIX. Anteriormente, a cidade era denominada “Taquaraçu”, em razão da grande quantidade dessa planta que existia na região.


Com o povoamento do lugar, os fazendeiros doaram parte da terra à Santana, mudaram o nome para Santana do Paraíso e elegeram Santa Ana como sua padroeira. Já o nome “Paraíso” surgiu, em razão da beleza do lugar, com suas cachoeiras de águas límpidas, refrescantes e as belíssimas paisagens.


A festa de Santana, em homenagem à sua padroeira, é uma das maiores e mais bonitas tradições local. Realizada no dia 26 de julho, dia de Santa Ana, a Festa é precedida por uma semana de atividades religiosas e recreativas. Em sua programação conta-se com uma emocionante procissão pelas ruas em torno da Matriz com a belíssima imagem de Santa Ana, em meio a cantos, homenagens e pedidos de bênçãos.


Outra atividade marcante, que inclusive se tornou símbolo da festa, é o acendimento da fogueira que acontece desde a década de 50. Antes, ela acontecia no adro da Igreja, em frente da Matriz e contava com uma fogueira enorme, banda de música, barraquinhas, presença dos marujos, das pastorinhas que seguravam as pontas de um lençol branco para recolher donativos para a santa e para a construção da igreja.


Anteriormente havia também uma decoração especial. As ruas eram enfeitadas com arcos de bambu e muitas bandeirolas, as casas por mais simples que fossem também eram muito bem decoradas, tudo para receber com carinho a procissão. Já na hora da Missa, o sino da Igreja repicava para comunicar a todos o início do momento mais importante, e nessa altura a Matriz já encontrava lotada.


Entretanto, à medida que o lugar foi se desenvolvendo, o povoado se tornou distrito, e este posteriormente se tornou cidade, a celebração da Festa da Padroeira foi se ajustando ao gosto do povo, mas sempre sem perder de vista o seu intuito principal: homenagear a padroeira e dar espaço para a expressão do sentimento religioso do povo.


 


Patrimônio


 


Dentre os imóveis em que a Paróquia possui se destacam a Igreja Matriz e o Espaço Santana localizados no centro da cidade.


A atual Igreja Matriz foi idealizada e planejada pelo Padre Dorilo Glória que comandou a maior parte da construção, no entanto, ela foi concluída pelo Padre Joaquim Santana em meados de 1954 e 1955, sabe-se que sua inauguração contou com a participação de toda a comunidade incluindo as crianças daquela época. Apesar das reformas que passou, vale ressaltar que a Igreja permanece com seu padrão estético, que por sinal a faz ser considerada um dos principais pontos turísticos da cidade.


Quanto ao Espaço Santana, é preciso voltar um pouco na história. Há algumas décadas, as crianças e jovens da cidade precisavam ir para outras cidades para estudar. Sensibilizado com as dificuldades que enfrentavam, Padre José Luduvikhfs comprou um terreno próximo a Matriz e construiu o Ginásio Comercial São José a fim de solucionar o problema de continuação dos estudos das crianças e jovens da cidade. Mais tarde o local foi alugado pela Prefeitura Municipal que o utilizou para a Escola Municipal José Dias Bicalho até o ano de 2014. Desde então, o prédio se tornou obsoleto.


Com a chegada na cidade do Padre William Pires como pároco, o mesmo percebeu a realidade local, a necessidade de um espaço que disponibilizasse atendimento espiritual, social, opções de entretenimento e compras, e a partir de então idealizou o Espaço Santana na área da antiga Escola. Então, com muito empenho o projeto foi executado com o apoio e investimento dos paroquianos e parceiros.


Voltado para o cunho social, que é seu principal foco, o Espaço Santana abrange


salas onde a Paróquia oferece atendimento gratuito aos paroquianos, a secretaria paroquial, bem como quatorze lojas comerciais e um salão de festas.


 


O território paroquial abrange 12 comunidades sendo elas:



  • Matriz (Centro)

  • Nossa Senhora das Graças (Alto de Santana)

  • São José (Boa Vista)

  • Nossa Senhora de Lourdes (Achado de Baixo)

  • Santo Antônio (Achado de Cima)

  • São Francisco (São Francisco)

  • Sagrado Coração de Jesus (Residencial Paraíso)

  • São Pedro (Expansão do Bairro industrial)

  • Nossa Senhora Aparecida (Industrial)

  • Nossa Senhora de Guadalupe (Residencial Bethânia)

  • Nossa Senhora Aparecida (Águas Claras)

  • Nossa Senhora de Fátima (Jardim Vitória)


 


Padres que dirigiram a Paróquia:


 



  • Padre Dorilo Glória – 1948 a 1954 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Joaquim Santana de Castro – 1954 a 1966 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre José Luduvikhfs – 1966 a 1974 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre Martinho Cornélio Cools – 1974 a 1975 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre Waldo José Pignaton, CSSR – 1975 a 1982 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre Jésu Ferreira de Assis – 1981 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre José Miranda – 1982 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • José Miranda e Pe. Franco Monchiero – 1982 a 1985 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre Mássimo Ferrio -1986 a 1995 (Mesquita/Santana do Paraíso)

  • Padre Marcos Antônio Rosa -1995 a 2002

  • Padre Grimaldo – 2003 a 2004

  • Padre Paulo da Rocha Dias – 2004 a 2008

  • Padre Raimundo Vieira da Rocha – 2008 a 2012

  • Padre Roberto Gualberto da Costa – 2013 a 2014

  • Padre William Luciano Pires – 2014 a 2019

  • Padre Elinei Eustáquio Gomes – 2020


 


FacebookWhatsAppTwitter